14 years!!!

New video “Discord” celebrating 14 years!!!

Questions, 14 anos. É inevitável a vontade de fazer uma reflexão sobre o que fizemos até aqui e o que nos move a continuar.

Amigos de bairro, desde adolescentes nos vimos insatisfeitos com as opções que tínhamos, vivendo na periferia de SP. As oportunidades de estudo, trabalho e futuro pareciam pequenas demais, sem graça demais.

Primeiro a amizade e depois a música, em especial o que acontecia no underground no final dos anos 80, foram os principais fatores que nos uniram e despertaram ainda mais o desejo de sair dali, de conhecer outros horizontes.

O Questions tomou forma em 2000, com a intenção de espalhar pelo mundo os valores que aprendemos na rua, inspirados pelas bandas punk/hardcore, que faziam o seu corre sem esperar nada de ninguém. “Faça Você Mesmo” desde o primeiro dia, a única coisa que nos guiou e guia é fazer o que temos vontade como banda. A gente queria alcançar todos os lugares possíveis.

Europa sempre foi um sonho, e uma meta. Demoramos 7 anos para conquistá-lo pela primeira vez, e desde então não paramos mais de voltar. Os países do Leste e a Rússia, outro sonho que perseguimos até realizar. E não paramos mais de voltar.

São inúmeros momentos especiais que vivemos com essa banda. Experiências que vamos guardar para sempre como a prova de que, por mais que pareça impossível, é lutando que criamos a vida que queremos para nós.

Desde 2000 são quatro discos lançados em cd, dois 7 polegadas, um vinil duplo, um cd single, uma fita k-7, um documentário em VHS, participações em coletâneas, uma infinidade de vídeos, quatro tours na Europa e três na Rússia, shows por todo o Brasil, construímos amizades com as nossas principais influências (Iggor e Max Cavalera, Freddy e Hoya Madball, Roger, Stigma, Joe e Agnostic Front, Pete e Sick of it All, Clemente do Inocentes, banda punk clássica do Brasil) e tocamos em festivais importantes, como o Fluff (Rep. Tcheca), Ieper (Bélgica) e  também na comemoração de 30 anos do “O Começo do Fim do Mundo”. Este foi o primeiro festival Punk do Brasil e da América Latina. Realizado no começo dos anos 80, foi e é até hoje considerado um dos maiores e mais influentes festivais que já existiram. Um marco histórico para o Punk no mundo e uma honra sem precedentes para nós.

Olhando para trás e vendo tudo isso, uma mistura de satisfação com vontade de fazer mais.

Nos últimos anos, com as experiências destas tours mais pelo Leste Europeu e pela Rússia, infelizmente percebemos que movimentos fascistas e a intolerância emergem por lá (e em toda a parte). Nos sentimos cada vez mais incomodados com isso, inclusive passamos por alguns momentos desagradáveis, com certeza por sermos brasileiros miscigenados vindo dos subúrbios de São Paulo.

Acreditamos na liberdade e no respeito entre os seres humanos de todas as cores e gêneros. Ser negro não fere seu caráter, ser homossexual não fere seu caráter… mas sim a má índole que qualquer ser humano venha a ter, independente da cor, raça ou opção sexual! E achamos que o papel do hardcore, movimento que acreditamos, é incluir e acolher pessoas que se sintam indignadas com estes problemas de intolerância. E juntos lutar por algo digno e tentar acabar com esse mal que assola, não só o movimento, mas fora dele também. Esse espírito fez com que nos identificássemos com o hardcore, é por isso que vamos continuar lutando.

O Questions completa 14 anos!! Estamos ai para fazer novas amizades, tocar, ser feliz… e principalmente lutar contra qualquer tipo de intolerância.

Questions – SPHC – Positive Hardcore from Brasil!

Questions, 14 years. Inevitably, we feel the need to think about what we have done so far and what moves us to continue.

As friends that grew up on the same neighborhood, when we were teenagers we were very unsatisfied with the options we had, living on the suburbs of São Paulo, Brasil. Opportunities of education, work and future seemed too small, too boring.

Friendship first and then the music, especially what happened in the underground in the late ’80s, were the main factors that have brought us together and aroused the desire to leave, to meet other horizons.

Questions took shape in 2000 with the intention of spreading to the world the values ​​that we learned on the streets, inspired by punk/hardcore bands, which made ​​their thing without expecting anything from anyone. “Do It Yourself ” from day one, the only thing that guided and still guide us is to do what we feel as a band. We wanted to reach all the possible spots.

Europe has always been a dream and a goal. It took us seven years to achieve it, and since then we keep coming back. Eastern countries and Russia, another dream we pursued until we accomplished it. And we keep coming back.

There are many special moments that we lived with this band. Experiences that we will keep forever as the proof that we can struggle to create the life we want for ourselves, as impossible as it may seem.

Since 2000 there are four albums released on CD, two 7 inches, double vinyl, a CD single, a k-7 tape, a documentary on VHS, participations in compilations, countless videos, four tours in Europe and three in Russia, shows throughout Brazil, we build friendships with our main influences (Iggor and Max Cavalera , Freddy Madball and Hoya, Roger, Stigma, Joe and Agnostic Front, Pete and Sick of it all, Clement of the Inocentes, classic punk band from Brazil) and played at major festivals like Fluff (Czech Rep.), Ieper (Belgium) and also on a celebration of 30 years of the “Beginning of the End of the World” . This was the first punk festival in Brazil and Latin America. Held in the early 80s, it was and still is today considered one of the largest, most influential festivals that ever happened. A landmark for Punk in the world and an unprecedented honor for us.

Looking back and seeing all this, a mix of satisfaction and the willingness to do more.

In recent years, with the experiences of these tours in Eastern Europe and Russia, unfortunately we realized that fascist movements and intolerance emerge there (and everywhere). We feel increasingly uncomfortable with this, even we went through some unpleasant moments. It certainly has to do with the fact that we are mixed race Brazilians coming from the suburbs of São Paulo.

We believe in freedom and respect among human beings of all colors and genders. Being black does not hurt your character, being gay does not hurt your character… what does is the bad character that any human being might have, regardless of color, race or sexual orientation! And we think that the role of the hardcore movement, the one we believe in, is to include and welcome people who feel outraged by these problems of intolerance. And together we fight for something decent and try to end this evil plaguing not only the movement, but also outside it. This spirit led to identify ourselves with hardcore, that’s why we’ll keep fighting .

Questions complete 14 years! We are out there to make new friends, play, have fun… and mostly to fight against any kind of intolerance.

Questions – SPHC – Positive Hardcore from Brazil !